HOME   -   QUEM SOMOS   -   SERVIÇOS   -   ARTIGOS   -   CADASTRE-SE   -   ATENDIMENTO   -   CONTATO
  ARTIGOS | Informações que fazem a diferença  
   
 

4 POSSÍVEIS INDÍCIOS DE COMPORTAMENTO SUICIDA
 

A cada dia estão mais altas as taxas de suicídio de adolescentes com idades entre 10 e 14 anos, tendo estas, aumentado 40% nos últimos 10 anos e 33% entre aqueles com idades entre 15 e 19 anos, segundo o Mapa da Violência 2014. Todos os dias, aproximadamente 30 brasileiros suicidam e, para cada morte, há entre 10 e 20 tentativas. A única maneira de evitarmos que isso aconteça é prevenindo e para isso precisamos estar atentos. Há que se falar no assunto a fim de eliminar o tabu social que permeia o tema e evitar que tantas vidas sejam interrompidas precocemente.

1- Discurso Negativista e falta de perspectivas.
Algumas mudanças ou perdas (desemprego, separação, perda de um ente querido...) que acontecem na vida podem não ser bem elaboradas pela pessoa, que fragilizada encontra-se sem condições para encarar o acontecimento e adotar uma perspectiva positiva em relação ao futuro.
Fique atento se a pessoa menciona frases do tipo “não vale a pena tentar”, “não aguento mais”, “eu queria ou preferiria morrer”, “queria sumir”. Apesar de muitas pessoas acreditarem que a pessoa está falando essas coisas para chamar atenção, muitas vezes essas palavras representam um pedido de socorro de alguém que realmente está sofrendo e necessita de ajuda.

2- Depressão, outros transtornos psíquicos e uso de drogas.
Segundo alerta: quase 100% das pessoas que se suicidaram enfrentavam algum problema mental – a maioria depressão. Quem está sofrendo depressão ou outro transtorno deve receber maior atenção. E, se a pessoa consome álcool ou outras drogas (inclui-se aqui medicamentos), a atenção deve ser redobrada.

3- Seu filho pode ser um adolescente com problemas e não um aborrescente. A taxa de suicídio dos jovens brasileiros aumentou mais de 30% nos últimos 10 anos, conforme citamos acima. É preciso estar atentos para não atribuirmos todo comportamento errático a uma fase, ou seja, algo comum na adolescência, esta pode ser a maneira de comunicar suas dificuldades que o jovem encontrou. Pode ser um sinal de intenção de suicídio. Existe um tabu de que a depressão atinge mais ou somente pessoas adultas, contudo os casos aumentam a cada ano em todas as faixas etárias. Alerta para as cobranças exageradas por desempenho e bullyng, muito comuns nessa fase e que representam risco potencial.

4- Falta de interesse e de prazer nas atividades. É preciso ficar atento quando a pessoa não demonstra interesse na vida ou nos outros. Para o deprimido, o mundo deixa de ser colorido, tudo se torna preto e branco. Ele tem baixa autoestima, desinteresse por todos e fica muito voltado para si. Quando em depressão severa, a pessoa se isola dos outros e não vê motivos para continuar viva. É um alerta de urgência. Muita atenção a episódios de melhora repentina, eles podem ser uma simulação para que a pessoa tenha oportunidade para a concretização.


17/11/2015

 

 
     
     
 


Conselho Regional de Psicologia-MG – CRP04

Código de Ética Profissional dos Psicólogos

Conselho Federal de Psicologia - CFP

Resolução CFP nº 11/2012, de 21/06/2012